Arquivo da categoria: Fotografia

Estamos vivos e estamos bem!

121E quanto tempo se passou, heim?
Não gosto de passar tanto tempo longe do blog… Mas sei lá, aconteceu…
Estou caminhando rumo a finalização do tcc, e como vocês sabem ou podem imaginar, tcc consome vidas! rsrs
De qualquer modo, o tcc sozinho não justifica passar tanto tempo longe do blog. Ou seja, o hiato foi um punhado bom de lerdeza minha.
Juntou o pouco tempo + falta de inspiração + perdi meu ÚNICO cartão de memória, logo, acabou sendo inevitável o afastamento.
Mas okay, o que importa é que apesar de toda crise política, econômica e o tcc, estamos todos bem aqui em casa.
E esses são alguns registros aleatórios bem recentes dos dias que fiquei sozinha com minha pequena fadinha. =}

126 Acho que essa foi numa manhã de sexta-feira.

125 Gente, eu não consigo para de pendurar quadros nas paredes. Simplesmente amo!

124122 E até que enfim tenho o pôster de um dos meus filmes favoritos, Vicky, Cristina, Barcelona, do maravilhoso Woddy Allen, claro! ;}123Suco super verde, super saudável! Couve, água de coco, mel e laranja. Fiquei com receio da pequena não gostar, mas ela adorou!

Tenham todos um lindo final de semana!

Meu novo passatempo

_DSC0032Estou passando aqui para compartilhar com vocês  o meu novo passatempo: O bordado.
E não é de ver que estou adorando.
Estou gostando tanto que voltei no armarinho uma semana depois para fazer um ‘upgrade’ no material que eu havia comprado na semana anterior. Apenas mais dois bastidores, um fixo e um regulável, um conjunto de agulhas, papel carbono branco (para desenhar em tecidos escuros, o que ainda não tentei) e mais um pouco de linha. Em relação as linhas, nem precisei sair comprando um monte, já que tinha um punhado que ganhei da minha mãe que por sua vez, havia ganhado da minha avó, a bordadeira oficial da famiília.

A faculdade ainda está de greve, (acho que a maioria das federais do país estão), logo, tenho um pouco mais de tempo livre. E como estou afastada do desenho e da fotografia, por uma razão que ainda não consigo entender (e que me irrita e deixa pra baixo também), passei a bordar nesses ultimos dias. Acho que de certa forma é um meio de canalizar meu impulso criativo que ainda existe. rsrs

E não tem nada melhor nessa vida do que achar pessoas que fazem maravilhosamente bem o que você decidiu se aventurar a fazer. Pois é… navegando pelo instagram (aplicativo maravilhoso que eu consigo gostar do mesmo tanto ou mais do que no primeiro dia que comecei a usar), encontrei as meninas do Clube do bordado, e fiquei ENCANTANDA!!!!
Sério, os bordados mais lindos do mundo são os delas. E não estou exagerando. Você pode conferir aqui no tumblr delas, ou no instagram, vão ver que tenho razão. Me senti tão tocada pela beleza do trabalho, que tive que escrever e agradecê-las por tornar o mundo um lugar mais lindo. Sim, acho que pessoas que nos inspiram merecem ouvir agradecimentos pelo feito.

No mais, ando meio distante do meu blog e dos blogs do mundo, não sei se é o calor (não hoje! Hoje amanheceu chuvoso e fresco, aleluia), mas estou preguiçosa e desestimulada. Mas quem me segue no instagram vê que quase que diariamente eu dou o ar da graça com fotos do meu cotidiano, inclusive dos bordados.

Abaixo, algumas fotos de minhas primeiras investidas nessa aventura.IMG_9482Esse foi o meu primeiro. Todo mais ou menos, cheio de ponto soltando e com um acabamento vergonhoso. Aliás, o acabamento no bordado não anda sendo coisa simples para mim XD
_DSC0040 _DSC0013_DSC0006Esse foi o segundo bordado. Resolvi dar um novo ar a uma batinha branca que havia sido abandonada por minha mãe._DSC0049E esse foi o último. Devidamente afixado na parede do quarto da Eleonora. Pretendo fazer mais um ou dois e afixar à parede do quarto dela. As linhas, tecidos e o bastidor já estão ali, prontos para receberem desenhos e cores.

E sim, fiz tudo na mesma paleta de cores. O próximo pretendo mudar um pouco.

Tenham todos um lindo dia.

E qual é a sua relação com os livros?

_DSC0012Isso não é um post sobre o quanto eu leio ou o quanto amo ler, na verdade é um post muito mais ligado ao desapego do que à literatura.

Dias atrás o Inácio me presenteou com o direito de escolher alguns livros na Amazom (sim, tenho um namorado carinhoso), e escolhi dois da Alice (coleciono versões), e o de desenhos da Sylvia Plath que estava desejando há décadas (pretendo falar sobre eles aqui no blog). E deliciosamente os livros chegaram muito rapidinho aqui em casa (Amazon, eu realmente sou apaixonada por você). Ao abrir a caixa me surpreendi com a beleza dos livros. Rapidamente me sentei no chão e fui mostrar para a Eleonora o livro A pequena Alice no país das maravilhas, comprado pensando nela, já que essa é uma versão do próprio Lewis Carroll voltada para crianças de até 5 anos de idade. O livro, assim como eu e a Eleonora ficaram ali, no chão da sala mesmo. Observamos as ilustracões e ela passou algumas páginas de maneira pouco carinhosa. Ao pedir para ele ter cuidado, me veio um pensamento recorrente que tenho sobre os livros.

Por que as pessoas são excessivamente cuidadosas com esses objetos?

Certo dia, mostrei ao Inácio uma foto linda de um quarto, onde haviam livros no chão ao lado da cama. Ele apontou em direção aos livros e disse: “isso eu não acho legal”, e completou argumentando que livros não são para decoração, e sim para serem lidos e guardados com muito cuidado.

Óbvio que discordei!

Os livros são sim para serem lidos, absorvidos, amados, mas… Eu não os trato como objetos sagrados, que não possam ficar no chão ou serem carregados para cima e para baixo.

Eu tinha um professor que sempre carregava seus  livros separadamente dentro de um saquinho plástico, muito bem selado. Tudo muito limpo e muito bem cuidado. Os livros dele tinham aspecto de livros recém chegados da livraria, e meu pensamento foi: “credo, que toque, que medo!”

Sério, os livros são para isso tudo mesmo?
São objetos a serem tratados como uma preciosidade rara?
Bem, para mim, suas histórias são preciosidades. O livro; este é apenas um lindo OBJETO que merece sim ser tratado com carinho (falo isso todos os dias para Eleonora), para que dure a maior quantidade de tempo possível.
Mas ele também é para estar sempre com você! Ser carregado na bolsa, ter páginas sublinhadas, com anotações ao lado e até mesmo com desenhos (meu antigo hábito, eu vivia desenhando em meus livros).

Dessacralize o objeto livro!

Sublinhe, faça marcações, até mesmo use as páginas como ‘marca página’ dobrando-a, por quê não?
Espalhe eles pela casa, mantenha um sempre ao alcance da mão. Durma com alguns em cima da cama…

Apenas não tenha medo estragar/enfeiar o seu livro.

Eu entendo que há muitas pessoas, organizadas e cuidadosas que jamais fariam essas coisas com seus livros, respeito, e até acho bonito. Mas somente quando isso não é uma espécie de obsessão ou uma sacralização do objeto.

Ame sim os livros, mas ame sem preocupação, sem peso (se é que isso é possível ou  faz algum sentido)
_DSC0075 _DSC0044 Aqui em casa, tem livros em todos os cômodos. Quanto ao Inácio, acho que ele já se desapegou e se acostumou com tudo isso, acho… XD_DSC0019

Tenham uma linda semana!

Nossos dais (Instagram de julho)

A partir de agora (espero eu!), as fotos da tag “Nossos dias”, que se tratam de uma série de fotos publicadas no meu Instagram, corresponderão a meses específicos. Sempre vejo assim nos  blogs por aí, e confesso que acho bem mais interessante do que da forma como eu venho postando, fotos aleatórias de diferentes meses. Postando fotos de meses específicos fica mais fácil perceber como foi nosso mês, segundo meus registros no Instagram. =}foto 5 (4) foto 4 (5)Sobre a foto com as flores que saem da parede. Sempre que vejo flores e plantas brotando em meio a lugares ‘hostis’ como uma parede de um edifício velho ou bueiro eu fico encantada. Sério que essas pequenas demonstrações de vida delicada me fazem pensar sobre o quanto a vida é um emaranhado louco de imprevisibilidade e delicadeza

E as duas últimas fotos são do quartinho da pequena. No último domingo enchi uma das paredes do quarto dela de bolinhas adesivas amarelas, e o resultado ficou fofíssimo. Amei!
Daí não resisti e peguei uma das cadeiras amarelas da sala, um punhado de livros da Alice, dei um ‘up’ na abajur amarela, colando mini tassels coloridos nela e pronto! Eis que agora a Eleonora tem um quartinho um pouquinho mais aconchegante.
Irei falar sobre a nova parede da pequena, em breve aqui no blog. =}

foto 3 (4)Passei alguns dias fora de casa com a pequena, quando voltamos fomos surpreendidas com um recado lindo de boas vindas na parede da cozinha. Daí, de repente, sorriso leve no meu rosto.
A melhor parte de se ter quadro negro em casa (temos dois na cozinha) e post-it sempre ao alcance, é que sempre tem recados carinhosos espalhados pela casa. Temos esse hábito.E acho que assim, a vida fica mais doce.

foto 2 (3) foto 1 (4)Acho que em poquíssimo tempo teremos uma floresta dessa suculenta aí, em casa. Sério, ela cresce rápido, e brotam várias mudinhas com frequência. Estou adorando, claro. Uma porque acho ela exótica e lindinha, e principalmente, porque ela resiste aos meus “cuidados”. XD

foto (3) foto 3 (5) foto 2 (5) foto 1 (5)Fui surpreendida ao encontrar o celular do meu pai essa foto adorável  com a Eleonora no carrossel. Supresa boa! Foi para o Instagram, óbvio! rsrs

foto (2)

 

E esses foram alguns dos meus registros de julho. =}

Tenham todos um maravilhoso dia.

Manhã de domingo

1Existe alguma coisa a mais que me faz dar vontade de fotografar nos domingos pela manhã, sacio tal vontade fazendo alguns registros desse nosso cantinho.2 Musgo lindo que compramos no supermercado. Espero que ele viva muitos dias ao nosso lado.  =}.
Aliás, quem tiver uma dica mais ‘direta’ sobre como cuidar desse tipo de musgo aí, irei adorar.3 4 5.1 Sexta-feira passada fomos ao shopping e compramos alguns livros que estavam absurdamente baratos. A pequena se amarrou em seus novos amiguinhos.6Falando em livro, quem aí leu esse romance extraordinariamente extraordinário da Miranda July? Eu estou deslumbrada!
(E estou falando sério quando digo que estou procurando alguém para conversar sobre o livro)

Para quem não conhece, Miranda July é uma cineasta (que tem o dom de fazer filmes lindos), performer, escritora…
Já esperava que iria vir coisa boa dessa moça, até porque ela só faz coisa boa mesmo. Mas não esperava ficar tão deslumbrada.
O Primeiro Homem Mau tem uma história tão estranha e tão linda ao mesmo tempo…

Conheci Miranda July através do filme ‘Me and you and everyone we know (quem não assistiu, por favor, assista! Você não vai se arrepender, espero… XD ), desde então, sou super fã.

E aqui, uma cena que por fim, não fez parte do filme The Future, mas que eu adoro, adoro, adoro!

   

O último poema

Untitled-1

Assim eu quereria meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.

Manuel Bandeira

*Foto do post disponível como print assinado e enumerado na lojinha*

Amor, amor…

SAM_0496 copy

Às vezes me pego observando esses dois…

É tão bonito o amor e a amizade entre a pequena e o pai dela. Ela o ama incondicionalmente, ele a ama imensuravelmente.

É muito amor, é muita cumplicidade…

Eu poderia sentir ciúmes de quando fui na primeira reunião na escolinha e as professoras enfatizaram que ela tem uma ligação muito forte com o pai, e que várias vezes, durante as brincadeiras mais divertidas ela chama por ele com um sorriso grande no rosto; é, eu poderia, mas não senti. Muito pelo contrário, me senti orgulhosa por ela o amar tanto e deixar isso claro para todo o mundo, me senti orgulhosa por fazer parte dessa trupe.

Meu time!

Minha vida!_DSC0290 DSC0523-843x1024

Desejo a todos um maravilhoso final de semana

Enfim, férias!

1_DSC0923 cópia 2 Caramba! É somente  eu, ou vocês também acharam que demorou muito para as férias chegarem?

Essa sensação, de demora que senti, meio que anda na contra mão do que normalmente todos andam sentindo. É normal as pessoas reclamarem que os dias estão passando rápido demais. Bem, não nego, também sinto isso com frequência, porém, acho que o primeiro semestre do ano foi tão louco e cansativo que agora que as férias chegaram a sensação foi que julho demorou demais para chegar.

Junho foi um mês difícil, corrido, cansativo, cheio de pequenos dramas, mas  tudo ficou sob controle, na medida do possível.

Julho chegou já com comemoração de aniversário de namoro na primeira semana (5 anos! E eu ainda gosto daquele rapaz como no primeiro mês de namoro), e na última semana tem comemoração de aniversário da pequena, que vai fazer dois aninhos (céus, já?!).

Diferentemente do que tenho feito, não vou fazer nenhum combinado comigo mesma de nessas férias  ler tais livros, desenhar, fotografar, assistir filmes, (rever o meu box do Woody Allen); não vou combinar nada! Quero apenas deixar acontecer e aproveitar a calma dos dias lentos das férias.DSC_0661 cópia fotoAs fotos do post são de diferentes anos e foram cuidadosamente (nem tanto, confesso), escolhidas, pois de alguma forma elas me remetem a uma sensação boa, de dias longos e calmos.
A primeira é de 2015, a segunda é de 2010 e a última é de 2012.

Desejo a todos uma semana doce e leve.

 

Desejando dias mais lentos…

_DSC1351Fim do semestre, cadê você???

Não que a vida esteja ruim, mas bem que eu poderia de repente acordar e descobrir que estou de férias… Isso não seria nada ruim.

Mas enquanto o semestre não acaba, vida que segue! E que siga bela!_DSC1356  _DSC1321 copyE sim, essas fotos já apareceram aqui no blog, mas eu as amo tanto que resolvi reutilizá-las.

Adoráveis clicks do namorado (exceto essa última, do banquinho)

E que vocês tenham  uma semana doce!

 

Um dia para ficar em casa

_DSC0642 Sabe quando você passa por uma semana super difícil que te faz desejar logo na terça-feira que chegue logo sexta-feira?  Pois é, semana passada foi exatamente assim. Preenchida por coisinhas chatas quase todos os dias…
Na quarta-feira, dia em que eu estava com uma sensação de ter acordado com a mais terrível de todas as ressacas sem ao menos ter ingerido uma gota se quer de álcool no dia anterior, dia em que o clima estava cinza e ameaçando chuva, enfim quarta-feira foi um desses dias “errados”. Eu e a pequena tínhamos um dia super cheio pela frente, porém, decidi que ficaríamos em casa. Não estava me sentindo nem um pouco animada, queria ficar o dia inteirinho grudada nela pois mesmo ela sendo assim, tão pequena, me dá uma força e um conforto imensurável.
Porém, quando as coisas começam a desandar, já viu… O dia que tirei para descansar com a Eleonora foi um dos dias que ela me passou um dos maiores sustos ultimamente. Ela caiu da cama de casal, não vi o momento do tombo, apenas ouvi o estrondo do corpo contra o chão e o choro desesperado dela, corri para o quarto com as pernas já bambas, quando a vi sentada e  um pouquinho de sangue no chão, eu já não consegui processar mais nada. Foi muito susto, mas confesso que o susto foi g muito maior do que o próprio acidente. Ela apenas cortou de maneira bem superficial o lábio superior da boca. Ufa…

Superado o susto, o dia correu bem mais tranquilo.
Tentando me animar, resolvi tirar algumas fotos pela casa.
Tenho fotografado muito pouco, assim como tenho desenhado muito pouco, me voltar para essas duas atividades de vez em quando, me ajuda muito a recuperar o  ânimos por aqui.

_DSC0628_DSC0638_DSC0717_DSC0674E acredite, na tentativa de diminuir o peso de consciência por ficar em casa, eu ainda tentei estudar um pouco, mas… Não funcionou, não saiu nada! _DSC0682_DSC0609Completamente feliz com a edição de 1978 de água vida de Clarice Lispector. E o melhor a compra foi aleatória, eu não sabia desse detalhe. *_*

_DSC0597_DSC0666_DSC0595Adoro a luz da manhã em nosso quarto.

_DSC0585IMG_7184 copy

Nossos dias

Pequenos registros, devidamente salvos no instagram sobre os Nossos dias.
foto-20foto 5-3Se tem uma coisa que muda de lugar aqui em casa é a mesa, acho que ela nunca permaneceu um mês inteiro no mesmo lugar. E olha que a casa é pequena… Acho que nunca perderei a empolgação de todos os dias cuidar do nosso cantinho *_*foto 1-9 Estou viciada! Em iogurte, com frutas e granola, e SOU  viciada no sorriso dessa minha turminha. =}foto 2-9 Mês passado eu li Um coração singelo, do Flaubert, e para variar, amei. Esse foi o segundo livro do Flaubert que li, (o primeiro foi Madame Bovary, claro!), agora não tenho mais dúvidas que quero ler tuuuudo que esse bom (polêmico) rapaz já escreveu.
Só mais umas palavrinhas sobre o livro, na verdade sobre a compra dele. Gente, eu o comprei novinho pela bagatela de 8 reais na amazon.com.br, (mas agora ele parece estar um pouco mais caro, porém, ainda barato =} ).
Por sinal, os livros dessa série da editora Rocco, que estão com umas capas meio rococó, mas encantadoras, estão muito, muito baratinhos. Já quero comprar alguns outros. =}foto 3-9foto 4-4 A Eleonora adora me servir chá de vento. No último domingo ela acordou às 5:30, das 7:00 às 7:30 ela já tinha me servido umas 18 xícaras de chá. E eu, só queria mais uns 20 min de sono. foto 1-8foto 2-8 Comecei a fazer ballet, tem pouco tempo, nunca me senti tão desengonçada na minha vida, porém, continuo com a certeza que quero manter a dança como parte dos meus dias. foto 3-8foto 4-3Aaah, como tenho adorado as manhãs dos finais de semana, quando eu e minhas duas criaturas mais adoráveis desse mundo podemos dividir um precioso momento juntos. =}

Para quem tiver interesse, aqui tem alguns post antereiores com a hashtag Nossos dias

 

 

Por mais dias assim

_DSC0539Como são deliciosas as manhãs dos finais de semana. Tudo passa mais lentamente, e podemos aproveitar mais cada hora do dia.
A Eleonora nos acorda todos os dias às 5:30 da manhã, às 7:00, eu já fiz tanta coisa em casa que às vezes chego a pensar que já são 9:00, mas ainda são 7:00, poxa vida, SETE HORAS da manhã de domingo e eu super acordada. Isso não é justo. rsrs

Depois de esperar o dia ficar devidamente bem iluminado, peguei a pequena e fomos comprar pão e queijo, claro, em nossa bicicleta, fiel companheira. E como de costume, esticamos um pouquinho nosso trajeto, afim de matar a saudade de andar de bike e pegar algumas flores para enfeitar nossa mesa. =}

Chegando em casa, o Inácio preparou suco, me ajudou a colocar a mesa, e enfim, iniciamos deliciosamente juntos nosso domingo.fotoelA Eleonora tem estado ‘peladinha’ em casa nos últimos dias. É que na escolinha eles irão  tirar a fralda dos pequenos, e claro, nós pais,  abraçamos a ideia.

Em casa, eu tenho pisado em alguns mini xixís ultimamente, acho que vai demorar um pouquinho para a Eleonora aprender a falar antes de fazer, que quer fazer xixi, mas ok, eu e o Inácio temos paciência, e a verdade dos fatos, é que nos divertimos com esses detalhes. =}1 copyDSC_0649-1024x680E assim foi, mais um delicioso dia em família, simples, calmo, doce…

Desejo a todos, uma maravilhosa semana!

 

Minha nova forma de poesia

bltE não é de ver que quando eu estava em vias de tirar um sonho da gaveta para excluí-lo definitivamente dos meus planos, eis então, que surge uma oportunidade maravilhosa de realizá-lo?!

Foi isso que aconteceu com o ballet.
Tem anos e anos que planejo começar aulas de ballet adultos. Houveram algumas outras boas oportunidades, porém na última hora sempre apareciam empecilhos. Consequentemente, para aliviar a angústia causada por preservar sonhos não realizados, durante uma séria e íntima conversa comigo mesma, cheguei a conclusão que desistir do ballet seria a atitude mais correta até então. E a desistência estava se dando de maneira calma, tranquila, sem nenhum pesar
Porém, em um dia qualquer, quando estava lanchando, avistei um anúncio de aulas de ballet para adultos na faculdade mesmo, e o melhor,  em um horário bom para mim. Não pensei duas vezes, peguei minhas coisas e segui rumo à faculdade de educação física, onde acontecem as aulas de dança, para pegar mais informações. Chegando lá, fiz a pré-matrícula, e saí de lá com um sorriso besta no rosto, quase saltitando de felicidade. Chegando em casa, conversei com o Inácio sobre a novidade, ele, para variar, protamente me apoiou, disse que não poderia deixar essa oportunidade escapar, pois desde quando nos conhecemos, lá, durante nossas primeiras conversas, eu já havia falado para ele sobre o meu grande desejo de fazer ballet, (achei tão lindo ele me lembrar isso…).

As aulas começaram, e eu estou amando. Amando profundamente!
Porém, descobri que sou mais desajeitada do que pensava. =O
Estou achando tudo muito difícil, mas empolgante ainda sim, e empolgação é o que não falta aqui. Tenho baixado vários vídeoaulas, tenho me alongado diariamente.

A empolgação é tamanha, que já estou de olho em outras escolas de ballet para adultos aqui em Goiânia, pois apesar de toda dificuldade que estou tendo, quero sim continuar a dançar para  até quando der._DSC0358IMG_6186Sobre as dificuldades, são muitas! Claro, era de se esperar. Nunca fiz dança, não praticava exercícios físicos… Mas de todos os desafios, muito além ainda da dificuldade de conseguir uma boa flexibilidade e equilíbrio, o mais complicado para mim, tem sido manter a postura, ou melhor, chegar a umas postura correta. Sério, para mim, é muito difícil ter uma postura “reta” de bailarina. Dói, dá agonia rsrs, mas tento.

Sobre minhas pretensões com a dança, não tenho grandes ambições, não almejo me tornar bailarina profissional. Sei bem das minhas condições. Para ser sincera, nem sei se um dia vou poder me apropriar da nomenclatura “bailarina” =P

Mas quem sabe um dia, eu poste aqui uma foto fazendo um belo arabesque, humn? XD

_DSC0482 Enfim, a minha verdadeira intenção com o ballet é primeiramente a de realizar um ‘sonhozinho’ antigo, outra, é tornar a minha vida mais poética e leve o quanto possível.

Desejo a todos, dias doces.