Arquivo da categoria: Sem categoria

O precioso silêncio

r1Viver em família, especialmente depois que você tem filho (s) implica quase que necessariamente em dias cheios, inclusive de barulho.

Eu adoro estar, brincar, bagunçar e fazer barulho com a Eleonora, assim como adoro as noites  em que eu e o Inácio nos permitimos longas horas de conversa com muita risada e bebida até bem tarde da noite
Mas gosto muito, (na verdade creio que isso seja uma necessidade) de ficar só. Eu preciso de um canto em que eu possa ficar em silêncio com os meus pensamentos.
O fato é que por algum motivo já faz tempo não estava praticando meu momento de silêncio e só me dei conta disso quando em um determinado dia, logo após o Inácio chegar do serviço e distribuir seus beijinhos (yaaah, momento ápice do dia), eu corri para o quarto e lá permaneci durante longos minutos. rsrs E por mais que sejam apenas ‘minutos’, foi tempo suficiente para eu pensar e repensar diversas coisas. Isso me acalma, me mantém em equilíbrio.

Tem gente que tem medo de ficar só e em silêncio, medo do rumo que seus pensamentos possam tomar. Já eu não tenho medo dos meus disso, mas confesso que  para esses momentos, mantenho sempre um livro à tira colo. Se caso os pensamentos começarem a ir para um lado não muito bacana, me atiro na leitura.

Acho que devemos praticar nossos momentos de silêncio com uma certa frequência. Isso é viver ‘para dentro’, é autorreflexão, é equilíbrio, é calma.IMG_8534

2 aninhos

Untitled-2No último dia 29 comemoramos mais um aninho de vida da Eleonora,  esse pedacinho de gente que tornou os nossos dias muito mais alegres.
Fizemos uma pequena celebração preparada de última hora por minha mãe, nossa amiga Andréia, eu e o Inácio.
Num geral, foi uma mini festinha super simples, mas com o luxo de ter duas tortas maravilhosas (yah! Obrigada, Andreia, a torta de morango estava demais!), cachorro quente preparado pela avó da pequena e alguns poucos balões pendurados na parede.

Independentemente do tamanho da festinha e apesar da ausência de mais um monte de gente muito querida por todos nós (festas de última hora tem desses inconvenientes), a Eleonora curtiu cada segundo. Com o direito de cantarmos ‘Parabéns’ duas vezes, porque ela pediu, bem, ela era a aniversariante. XD
a2 m1E no café da manhã de  domingo, fizemos uma celebração privada, (para manter a tradição) . Pedi para o Inácio comprar um cupcake ou qualquer bolinho bonitinho e vela para aniversário, resultado: ele não encontrou vela de aniversário e tivemos que improvisar com uma vela comum mesmo. Você sabe, cantar parabéns sem soprar a velinha não é aniversário de verdade.
E novamente a Eleonora adorou e novamente cantamos Parabéns duas vezes. Ela merece! m2 m3m4E assim encerramos julho, e desejamos dias lindos para nossa pequena favorita.

Feliz aniversário, Eleonora. Você é mais que especial para todos nós.

 Aqui tem um pouco sobre como foi o aniversário picknic de 1 ano da Eleonora.

5 coisas que me deixam mais feliz

foto-21Fui indicada pela Ba Moretti, uma mocinha muito lindona e muito querida, para participar da tag 5 Coisas que me deixam mais feliz. Obrigada, Ba, pela indicação, (e não me esqueci de uma outra que você me indicou há um bom tempinho atrás, é que sou lenta mesmo, rsrs)

Eu sou do tipo que fica enormemente feliz com as coisas mais banais da vida. Adoro a delicadeza na simplicidade dos dias.
Então, abaixo uma pequena série de coisas que me enchem de alegria e encanto pela vida.

Voltar para casa_DSC0345Eu sempre fui de gostar de ficar em casa. Quando morava com meus pais, valorizava casa segundo dos momentos que podia ficar sozinha em casa, e também adorava os momentos em família. Mesmo quando fazia passeios e/ou pequenas viagens super prazerosas, ainda sim, mantinha-se a vontade de voltar para casa.
Mas hoje, esse  gostar de ficar em casa ficou muito mais intenso. Quando estou saindo de casa rumo a um dia cheio, me conforto com a ideia de que no fim da tarde estarei de volta para o meu adorável lar.

  Rever fotos “antigas” (que não podem ser tão antigas assim…)foto-22Eu não sou a pessoa que mais bem se relaciona com o passado. Não é questão de mágoa, é questão de: Não sei porque não lido bem com isso.
Rever fotos da infância, adolescência, colégio, é algo meio complicado…
Bem, não vou me desdobrar em tentar descrever aqui sobre uma ‘piração’ minha que nem eu entendo. Hahaha
O fato é que  tem algumas fotos de um passado não tão distante que gosto muito de rever.
Eu adooooro revisitar fotos do início do namoro com o Inácio, assim como fotos da pequena de quando ela era menor rsrs. Melhor ainda é quando encontro alguma ‘rara’ foto em que aparecemos juntos e de preferência, com carinha engraçada da Eleonora. =}

Sair de bicicleta com a pequena para fazer qualquer coisa e voltar com flores de rua bike1Infelizmente tenho ando pouco de bicicleta com a Eleonora ultimamente, mas sem sombra de dúvidas andar de bicileta com a pequena e com matinho de rua na cestinha é uma das atividades mais deliciosas e relaxantes da vida!

Ganhar floresfoto-211 copy
Embora não consiga mantê-las viva por muito tempo, ganhar flores me faz uma pessoa muito mais feliz.
Ganhei essa linda mini roseira do Inácio, o dia estava simplesmente belo, porém ela não ficou muito tempo ao meu lado… Falei desse drama aqui

Encontrar filmes lindostumblr_nfi2klEafH1rsyukao1_1280Tenho uma verdadeira obsessão por filmes que abordam as coisas mais corriqueiras da vida, como o simples ato de viver, tendo que lidar com relacionamentos externos e com os nossos pequenos grandes dramas internos.
Certo dia estava na casa dos meus pais com o Inácio quando fomos surpreendidos pelas cenas deslumbrantemente lindas do filme To the wonder. Não conhecia o filme. Imediatamente fui baixá-lo para assistir em casa,  do começo ao fim. Depois de assistir não deu outra, me apaixonei!
O filme é feito de poucos diálogos, muito fluxo de consciência e muitas cenas lindas de tirar o fôlego.


E deixo aqui o convite aberto para quem quiser participar da tag 5 coisas que me deixam mais feliz. =}
(Estou quebrando a corrente não indicando ninguém diretamente? Bem, espero que não XD )

E você, tem medo das cores?

_1DSC0738 Já tem um tempo que venho pensando sobre a minha relação com as cores e o quão “curiosa” ela é.
Tempos atrás comprei uma mega mochila linda e multi colorida da farm, e quando ela chegou e pude vê-la pessoalmente, a primeira coisa que me veio a mente foi: “Nossa, que mochila colorida”. Sempre soube que ela era colorida, mas acho que tinha me esquecido disso ou imaginava que as cores seriam em tom pastel, sei lá. Todavia adorei a mochila justamente pelas cores lindas, depois pelo tamanho (enorme para os meus padrões).
Mas a mochila é apenas um detalhe, ela apenas me fez repensar sobre minha relação com as cores.

Eu, como quase todo mundo do mundo adoro, roupas pretas, até porque TODO MUNDO fica muito mais bonito de preto, tenho uma queda particular por roupas brancas e cinzas. Mas quando olho para o meu armário, POW! Acontece uma explosão de cores estampas e texturas.
Me dei conta que gosto mesmo é de roupa colorida, bem colorida! Quanto aos calçados, eles não ficam atrás, tenho tendência em comprar algo de gosto meio ‘duvidoso’, hahaha. É sério, não estou ironizando, eu de fato tenho gosto por calçados meio diferentesinhos acompanhados por cores e estampas e que em um primeiro olhar acho feio, no segundo, já estou louca para comprar. XD

Mas a minha relação com as cores é meio estranha mesmo. Adoro roupas super coloridas e sapatos brilhosos com tons gritantes (nem acho tão gritante assim, mas me falta um adjetivo mais preciso), mas a minha casa, essa se conserva em tom branco, sempre muito clara e cheia de luz natural.  Confesso que às vezes, acho ela meio sem graça, daí, para quebrar esse clima, mudo um móvel de lugar, acrescento algum detalhe na parede, prateleiras e livros, mas nunca, jamais (até o momento, claro rsrs) tive vontade de pintar uma parede de amarelo, salmão ou qualquer outra cor que não seja o mais adorável e sem graça, Branco.

Vai entender…

_DSC0795

Os livros não fogem à regra do meu gosto por cores.

Eu confesso, compro esses lindos objetos pela capa, e naturalmente essas capas costumam ser bem coloridas. Mas em minha defesa, tal compra ainda sim, obedece algum critério. Primeiramente porque livros como A culpa é das estrelas pode ter a capa mais linda do mundo que eu não vou comprar, assim como livros do Paulo Coelho, e qualquer livro de autoajuda.

Quando digo que compro livro pela capa é que simplesmente não consigo resistir em comprar algum livro que tenha uma capa linda sendo de autores que já gosto. Me permito também comprar livros de autores desconhecidos, depois, claro, de uma pesquisa rápida  no google, para não cair na cilada de literatura ‘girlie adolescente’ ou auto-ajuda.
Esse foi o caso de Tigres em dia vermelho, não sabia nada sobre, mas a capa do livro me deixou doida de curiosidade, busquei algumas poucas informações, aproveitei uma promoção, comprei, li e amei, não me arrependi da compra,  A guide to the birds of east Africa de Nicholas Drayson, também foi o mesmo caso de Tigres em dia vermelho.

O Sol e o peixe de Virgínia Woolf, Esta valsa é minha, Zelda Fitzgerald e qualquer livro da Alice Munro são alguns dos inúmeros livros que me fisgaram por suas capas lindas e coloridas, não tive nenhum medo da compra pois as autoras dispensam qualquer apresentação

_DSC0807 IMG_2136 _DSC0977Voltando a falar sobre minhas loucas roupas coloridas, tenho um amorzinho por esse vestido azul floral comprado no e-bay séculos atrás e que ficou ótimo no meu corpo. Num primeiro olhar, achei ele excessivamente florido, muito colorido, achei meio suspeito, no segundo seguinte, me apaixonei. =}

_DSC0978 copy_DSC0976 copy

Bom, não se espante caso um dia me encontrar por aí toda de preto, ou vestindo cores bem sengracinha. Gosto muito das cores, porém me esforço (apesar de muitas vezes vacilar) para manter o bom senso, e roupa não só fala muito de sua personalidade como fala também de seu estado de espírito.
O que quero dizer com todas essas palavras sobre as cores é que não tenho medo delas. Não fico pensando muito bem se vou ter lugar ou não onde usar tal vestido ou blusa colorida, se gostei, simplesmente compro. Não faço do meu armário uma segura e apática gradação de bege.

Mas a verdade dos fatos é que há pessoas que não tem medo das cores, apenas não gostam de nada muito colorido e isso é completamente ok, porque o que deixa uma pessoa linda mesmo é ela se sentir bem e à vontade da maneira como está. Meio clichê, piegas, mas é isso mesmo, fazer o quê?! XD

Tenham todos um lindo dia

Nossos dias

foto 1 (2)Tem um bom tempo que não faço uma seleção de fotos  do instagram para colocar aqui no blog, mas também, faz um bom tempo que não posto com regularidade, junho foi complicado…
Mas enfim, aqui estão algumas fotos do instagram que ainda sobreviveram no meu celular. =}foto 3 (2) foto 5 (3) Gente, o negócio é o seguinte: Eu morro de amores por essa foto do Inácio e a Eleonora na livraria. Ela me passa um sentimento bom. Acho que consegui traduzir em imagem a amizade linda dos dois. foto 4 (2) foto 4 (1) foto 5 (2) foto 3 (1) foto 2 (1) E claro, muitas e muitas fotos da nossa casinha, e em nossa casinha, porque nós amamos aquele mini lugar cheio de amor.foto 1 (1)E quem quiser acompanhar de perto pequenos momentos dos nossos dias, sinta-se à vontade para nos acompanhar nesse mundo fantástico chamado Instagram. =}

Desejo a todos uma linda semana!

Sexta-feira

 _DSC0766 _DSC0775_DSC0772Sexa-feira chegou e o fim do semestre ainda não, e sinceramente, não aguento mais… Fiquei mega preguiçosa nessa reta final e tenho um tanto de coisas para fazer ainda… Não quero saber de mais nada.
Enfim, em meio a essa loucura toda, arranjei disposição para fazer fotos com a filhota na nossa mini cozinha. XD

Obs: o recado no quadro negro é para o Inácio. Ele nunca se lembra que tem seres vivos na varanda que precisam de água com uma certa frequência. E a letra é minha, ela é feia mesmo, mas não tanto quanto como na foto. Escrevi correndo por alguma razão que não me recordo agora, mas possivelmente deve envolver a Eleonora. XD

 

 

Por mais dias assim

_DSC0539Como são deliciosas as manhãs dos finais de semana. Tudo passa mais lentamente, e podemos aproveitar mais cada hora do dia.
A Eleonora nos acorda todos os dias às 5:30 da manhã, às 7:00, eu já fiz tanta coisa em casa que às vezes chego a pensar que já são 9:00, mas ainda são 7:00, poxa vida, SETE HORAS da manhã de domingo e eu super acordada. Isso não é justo. rsrs

Depois de esperar o dia ficar devidamente bem iluminado, peguei a pequena e fomos comprar pão e queijo, claro, em nossa bicicleta, fiel companheira. E como de costume, esticamos um pouquinho nosso trajeto, afim de matar a saudade de andar de bike e pegar algumas flores para enfeitar nossa mesa. =}

Chegando em casa, o Inácio preparou suco, me ajudou a colocar a mesa, e enfim, iniciamos deliciosamente juntos nosso domingo.fotoelA Eleonora tem estado ‘peladinha’ em casa nos últimos dias. É que na escolinha eles irão  tirar a fralda dos pequenos, e claro, nós pais,  abraçamos a ideia.

Em casa, eu tenho pisado em alguns mini xixís ultimamente, acho que vai demorar um pouquinho para a Eleonora aprender a falar antes de fazer, que quer fazer xixi, mas ok, eu e o Inácio temos paciência, e a verdade dos fatos, é que nos divertimos com esses detalhes. =}1 copyDSC_0649-1024x680E assim foi, mais um delicioso dia em família, simples, calmo, doce…

Desejo a todos, uma maravilhosa semana!

 

Minha nova forma de poesia

bltE não é de ver que quando eu estava em vias de tirar um sonho da gaveta para excluí-lo definitivamente dos meus planos, eis então, que surge uma oportunidade maravilhosa de realizá-lo?!

Foi isso que aconteceu com o ballet.
Tem anos e anos que planejo começar aulas de ballet adultos. Houveram algumas outras boas oportunidades, porém na última hora sempre apareciam empecilhos. Consequentemente, para aliviar a angústia causada por preservar sonhos não realizados, durante uma séria e íntima conversa comigo mesma, cheguei a conclusão que desistir do ballet seria a atitude mais correta até então. E a desistência estava se dando de maneira calma, tranquila, sem nenhum pesar
Porém, em um dia qualquer, quando estava lanchando, avistei um anúncio de aulas de ballet para adultos na faculdade mesmo, e o melhor,  em um horário bom para mim. Não pensei duas vezes, peguei minhas coisas e segui rumo à faculdade de educação física, onde acontecem as aulas de dança, para pegar mais informações. Chegando lá, fiz a pré-matrícula, e saí de lá com um sorriso besta no rosto, quase saltitando de felicidade. Chegando em casa, conversei com o Inácio sobre a novidade, ele, para variar, protamente me apoiou, disse que não poderia deixar essa oportunidade escapar, pois desde quando nos conhecemos, lá, durante nossas primeiras conversas, eu já havia falado para ele sobre o meu grande desejo de fazer ballet, (achei tão lindo ele me lembrar isso…).

As aulas começaram, e eu estou amando. Amando profundamente!
Porém, descobri que sou mais desajeitada do que pensava. =O
Estou achando tudo muito difícil, mas empolgante ainda sim, e empolgação é o que não falta aqui. Tenho baixado vários vídeoaulas, tenho me alongado diariamente.

A empolgação é tamanha, que já estou de olho em outras escolas de ballet para adultos aqui em Goiânia, pois apesar de toda dificuldade que estou tendo, quero sim continuar a dançar para  até quando der._DSC0358IMG_6186Sobre as dificuldades, são muitas! Claro, era de se esperar. Nunca fiz dança, não praticava exercícios físicos… Mas de todos os desafios, muito além ainda da dificuldade de conseguir uma boa flexibilidade e equilíbrio, o mais complicado para mim, tem sido manter a postura, ou melhor, chegar a umas postura correta. Sério, para mim, é muito difícil ter uma postura “reta” de bailarina. Dói, dá agonia rsrs, mas tento.

Sobre minhas pretensões com a dança, não tenho grandes ambições, não almejo me tornar bailarina profissional. Sei bem das minhas condições. Para ser sincera, nem sei se um dia vou poder me apropriar da nomenclatura “bailarina” =P

Mas quem sabe um dia, eu poste aqui uma foto fazendo um belo arabesque, humn? XD

_DSC0482 Enfim, a minha verdadeira intenção com o ballet é primeiramente a de realizar um ‘sonhozinho’ antigo, outra, é tornar a minha vida mais poética e leve o quanto possível.

Desejo a todos, dias doces.

Em uma casa sem tv e com a vida mais leve…

_DSC10376 Vivemos em uma casa sem tv.

E sinceramente, acredito que foi uma ótima escolha feita por mim e pelo Inácio. Nós não conseguimos perceber pontos positivos suficientes para se manter uma tv em casa. Não é somente pela Eleonora que tomamos essa decisão, foi por nós também.
Sem querer parecer ridiculamente dramática, mas já correndo o risco de parecer, o fato é que sou demasiadamente sensível às notícias ruins  e claro, ao estado de pânico que a mídia tanto faz questão de proferir. Perco o fôlego, perco o apetite, e muitas vezes, perco o ânimo ao ver certas notícias.
E em relação ao aspecto negativo da tv, não vejo escapatória a não ser “cortar o mal pela raiz”. O que quero dizer é que não adianta correr para as maravilhas da tv por assinatura, pois  lá também, assim como na tv aberta, você fica exposto a muita coisa inútil sem nenhum fim “somatório” para a vida. Não que eu esteja ignorando o mundo, tampouco esteja me tornando indiferente a ele, o ponto crucial é que sempre tento tomar a vida da maneira mais delicada possível, e infelizmente, em boa parte do tempo, a mídia mostra apenas o lado cruel da vida.
Não nego que dependendo do canal ou do programa, você descobre e aprende coisas proveitosas que sabe-se lá quando você iria saber sobre. Porém, ainda sim, isso não foi um ponto positivo suficiente para nos convencermos a voltarmos atrás quanto a nossa postura “radical” sobre a tv.
Confesso que sinto falta (e nem é tão grande assim) apenas de UM canal, que é o Arte 1, onde eu assistia documentários, matérias e filmes interessantíssimos.

Não tenho absolutamente nada contra quem assiste tv todos os dias, ou por quem deseja ter o  maior e mais moderno televisor do momento. A questão é que aqui em casa, não temos tv, não queremos uma, e o melhor, não sentimos a menor falta dela._DSC0285 _DSC0305E sinceramente, adoro o fato de não ter que conviver com o barulho incessante da tv, assim como adoro usar os furos na parede onde antes tinha o suporte para ela  (acredito eu), para pendurar meu tão adorado poster do Woody Allen (o melhor!) e um quadro que vivo trocando a imagem.

Obs: Caramba, tinha muito, muito tempo que não passava por aqui…

Tenham todos uma linda semana

Flores, sempre!

_DSC0622Você também tem o hábito de levar flores de rua para casa?

Eu sempre trago! Gosto de manter minha casa florida.
Sei que esse hábito pode não ser tão bacana assim, até porque, estou privando a flor de seguir seu curso natural, estou privando outras pessoas de as contemplarem… Mas, em minha defesa (tenho dúvidas quanto ao argumento seguinte), costumo pegar flores que são tidas como matinhos ou ‘pragas’.

A flor amarela acima foi colhida no meio de um morro isolado, no meio do mato,  as duas flores amarelas logo abaixo faziam parte de um arranjo de flores de um restaurante em Brasília, só me senti encorajada a pegá-las porque vi que os garçons autorizaram as  pessoas a pegarem os arranjos, eu peguei apenas duas. Elas bravamente resistiram até chegarem em casa, duraram lindamente vários dias em nosso quarto.

No mais, eu costumo pegar flores que ora dão em abundância, como as que dão em árvores (a da última foto é um exemplo), ora as que são matinhos e ‘pragas’ mesmo.

Adoro manter flores perto de mim, sempre que posso, trago uma para casa. É um hábito que  tenho há anos…_DSC0742_DSC0288_DSC0407_DSC0385Muitas das flores que enfeitaram minha casa esse ano, foram colhidas pelas ruas aqui do bairro, durante meus passeios matinais com a Eleonora. Infelizmente as flores de rua estão esvaindo daqui de casa, assim como meus passeios de bicicleta com a pequena que também vem se tornando coisa rara.

Sim, podem me julgar sobre minha manina de apropriação de flroes indefesas, mas  vou pedir apenas que ‘julguem leve’ =P

Desejo a todos vocês uma semana florida e doce.

 

Um apartamento dos sonhos a venda, logo alí, na Suécia…

SFD4596CB4A13164571AB0232A05E25AC5AEsses dias, passeando pelo blog decor8, me deparei com esse lindíssimo apartamento, o qual me agrada em absolutamente tudo. O mais surpreendente foi descobrir que ele  está a venda.
Pena que não é aqui em Goiânia (na verdade não faria grande diferença se fosse aqui, não iria ter dinheiro para comprar mesmo, nem se fosse aqui no meu bairro =0 ), ele está um pouquinho longe, no velho continente. O que por outro lado, o torna um tanto quanto mais atraente, não acham? XD

Imaginem só, morar em um apartamento lindo assim, com toda essa luz natural (algo que dou muita importância em uma casa), com todas essas plantinhas lindas, quadros encantadores na parede,  enfim, tudo maravilhoso,  na Suécia? Aaah, que sonho…

Mas enquanto a realização desse pequeno capricho está completamente fora de cogitação hoje e nos próximos dias (mas quem sabe dê para os  próximos meses… Vai que a maré muda, e o vento sopre sorte para o meu lado. Sou otimista!), vou me deliciando com a minha casa, toda pequenininha e muito adorada.SFDC2011BB1A6B74EA4B42E5391ABD342AF SFDD33DA75AB6504F768ABA5FD98EB20BE2 SFD670463BA0CB8431795E1AC3F6709BDA6 SFD9E677AA6623941818A11E512605BE0F1 SFD5CE79AE0F26B4392BE43435C218AC398 Sou loucamente apaixonada por esse estilo de decoração, chamado nos blogs de decoração a fora, como estilo escandinavo. Simplesmente não tem como não amar. A atenção dada  a iluminação, propiciando  ambientes sempre muito claros que passam uma sensação de leveza e conforto, ganham meu coração. Quero tudo para mim.

Um dos meus blogs de decoração favorito, por um acaso chama-se my scandinavian homeSFD6FC12283566D49A1BB984AE8CAE754E5 SFD41EAA58536E64FC89161225A7EB4D65EAqui, no meu painel do pinterest, Um cantinho assim, caso tenham interesse, vocês também podem ver a minha coleção de ‘cantos desejos’ lindos, similares a esse do post.
Costumo consultar com frequência a fim de me sentir inspirada a compor o meu própio canto.

E aí? Seria ou não uma delícia morar em um cantinho assim? =}

Fotos via: decor8

Recuperando o hábito da “escrita para si”

  esc1Dias atrás estava conversando com o Inácio sobre a dificuldade que tenho de me abrir com alguém e sobre  o quanto, ao mesmo tempo, sinto a necessidade de me abrir completamente com outra pessoa além dele, mas… Não tem jeito, isso é de fato difícil para mim. Por fim, tudo continua aqui dentro, bem guardado.

Já fui melhor em me abrir… Nunca fui espontânea nesse aspecto, porém, não era tão fechada como hoje. Mas, sempre chega o momento em que simplesmente precisamos despejar um monte de palavras em cima de alguém. Falar não somente sobre os problemas (pois esses são os que clamam pela necessidade de ser compartilhados e confortados por alguém), mas também, sobre as coisas mais banais e fúteis, sem ter receio de ser mal interpretada.

Mas… Novamente, não tem jeito, as palavras não saem, e o pior (ou melhor), é que logo, logo passa a necessidade de compartilhar com alguém, todavia, os pensamentos ficam ali, te martelando por dentro, te lembrando que eles precisam ser canalizados, não importa a maneira.

Quando era mais nova, SEMPRE mantive um diário por perto. Certo dia, resolvi revisitar um dos mais antigos e rapidamente fiz uma volta no tempo. Fui jogada em um mar infinito de memórias, reforçadas por fotos, entradas para cinema e shows, enbalagens de balinha, panfletos… Tudo alí, colado nas páginas, devidamente datadas. Tudo alí, mantendo frescos dias distantes.
Infelizmente não foi uma boa viagem. Não que o que todas aquelas lembranças fossem exatamente ruins, sou eu que não sei lidar com o passado.
Então tomei uma decisão drástica e definitiva, queimei (literalmente) alguns diários e prometi a mim mesma que nunca mais iria voltar eternizar memórias através da escrita. Tempos depois descobri que queimei apenas alguns, pois encontrei uns três ou quatro na casa dos meus pais.  Por qual razão não os queimei também, não sei. Talvez porque estavam perdidos na minha vida “organizada”.

Mas assim que me mudei e que passei a ficar mais tempo ainda sozinha (o que aprecio muito), decidi que iria tentar manter um diário novamente. Afinal de contas, o acúmulo de pensamentos estava pedindo para sair de dentro de mim e como já mencionei, não sou muito boa em falar sobre eles com outro alguém. Só que dessa vez fiz um combinado comigo mesma, que iria sempre, pelo menos tentar, escrever mais sobre a leveza da vida às angústias.

Porém, eis que derepente me vi sem uma agenda, ou caderno, ou qualquer outra coisa adequada para fazer dela um diário. Mas sabia que tinha  na casa dos meus pais uma agenda de 2010 que o Inácio havia me dado e que eu nunca cheguei a usar. Eu a encapei com um lindo papel de presente que ganhei como presente do Inácio,  (junto com outros presentes rsrs), no dia das mães de 2014. Hoje ela fica no banquinho ao lado da cama e muitas vezes anda pela casa comigo…

Confesso que não escrevo religiosamente  todos os dias, mas estou adorando recuperar o bom ato da escrita “para si”. É terapêutico, alivia a alma, conforta o coração.escr2esc3esc4esc6esc5

E o que esperar de um novo ano…

_DSC0745

Enfim, 2015 chegou! E do lado de cá, ele chegou transbordando alegria, novidades e leveza. Eu e minha pequena família estamos vivendo um momento maravilhoso, pois nos mudamos para um cantinho só nosso (em breve fotos do nosso novo lar), e essa novidade, por si só dá grandes indicativos que o nosso 2015 começou de maneira maravilhosa. Desejo que o ano continue assim, bem leve.

Abaixo, algumas fotos referentes ao último dia de 2014 (a caminho de Brasília) e o primeiro dia de 2015.

De um modo geral, nossa virada de ano não foi nem de longe agitada, com festança regada à música alta e bebidas, muito ao contrário, ela foi uma reunião bem calma, com algumas pessoas queridas da família do pai da pequena. Não teve agito, mas teve leveza, e para mim, isso é mais que bom. rsrs

 _DSC0775E obviamente, demos aquela paradinha básica no Jerivá. O fim de tarde estava encantador…

_DSC0703 _DSC0716  _DSC0760 _DSC0819_DSC0831_DSC0788 E por fim Eleonora e a priminha Lara. A pequena está completamente apaixonada por sua priminha, ao ponto de acordar e ficar chamando-a, pronunciando repetidamente “neném, neném”. *_*

Para 2015…

_DSC1356

Para 2015, desejo dias calmos e com muitas flores para todos nós.

Agradeço a todos vocês que gastaram alguns minutinhos do tempo suas vidas para passar por aqui. Agradeço de coração a cada adorável comentário, os vejo como uma singela demonstração de carinho.

Em 2013, prometi algumas coisas (vocês podem ver aqui), e dentre todas essas coisas a que cumpri e venho cumprindo com afinco e que vou “reprometer” é deixar cabelão crescer ainda mais. XD

Mas vou continuar a “árdua” tentativa de comer mais salada e beber mais água.

Sobre ser uma ótima mãe e uma grande amiga, preciso buscar opinões sobre. rsrs

Não, ainda não realizei meu “grande” projeto fotográfico, mas com certeza, fotografei mais em 2014.

Então, que venha 2015! =}

_DSC1374