Eis que se inicia uma nova fase em nossas vidas

 _DSC0639Hoje, terça-feira, estão oficialmente encerrados meus passeios ciclísticos pelas manhãs com a Eleonora.
As atividades na creche da faculdade, local onde a pequena vai pasar a estudar e brincar muito, começam hoje, (creche a qual tem ótima referência e que é extremamente concorrida. Para vocês terem uma ideia, para o grupo da Eleonora, houveram 236 inscritos para TRÊS vagas, e não é de ver que ela foi uma entre os sorteados. Tivemos ou não muito sorte, hmn?! Desculpem-me pela empolgação, mas tive que compartilhar a alegria alqui com vocês). =}
Estou com o coração apertado com essa nova fase, porém, muito feliz. Afinal de contas, minha filha tem só a ganhar com isso. Apesar do período dela ser integral, eu vou estar sempre por perto, pois minha faculdade fica no mesmo campus onde fica a creche. Ou seja…Não foi dessa vez que ela se livrou dos meus apertões e beijos de todos os dias. rsrs

Mas o difícil mesmo está sendo conformar-me com a ideia de não mais passear com a Eleonora pelas manhãs todos os dias. Vou sentir muita falta de nossos passeios matinais. Eu adorava andar por todo o bairro com ela na garupa, me falando um monte de coisas que eu apenas concordava.  Acredito que ela também se divertia muito. rsrs
Mas de qualquer modo, por mim e por ela, me comprometi a manter nossos passeios aos finais de semana.

Enquanto isso, vou me despedindo das férias e dando boas vindas para esse novo ano, que dessa vez,  parece realmente ter começado somente depois do carnaval._DSC0384

Durante alguns de nossos passeios…IMG_5537*Foto feita  via celular, por volta das 08:30h. No caminho de volta para casa.*
Mais registros de nossos passeios aqui

Desejo a todos uma linda semana!

Durante nossas manhãs…

man7 Ando completamente apaixonada pelas manhãs aqui em casa.

A luz está sempre tão bela…

Após o café da manhã e o devido beijo de despedida do Inácio em mim e na Eleonora, eu e a pequena costumamos dar uma volta de bicicleta pelo bairro, para roubarmos flores. Também costumo levá-la ora no parquinho aqui do condomínio, ora no parquinho da pracinha em frente ao condomínio. Eu adoro ouvir os gritinhos de empolgação dela, quando ela brinca no escorregador, adoro mais ainda ouvir o complexo diálogo que às vezes ela estabelece comigo quando estamos andando de bicicleta.

Assim que retornamos, tomamos um banho quente. Ela dorme, e eu vou curtir meu tão esperado momento de puro silêncio

Abaixo, algumas fotos feitas em diferentes manhãs em nossa pequena e adorável casa.ma1de quando acordamos e não arrumamos a cama imediatamente…

man6 De quando roubamos flores na rua e trazemos para casa…

man5 man2  De quando amanheceu chovendo…

man13  De quando sábado de manhã é a felicidade em família…

man10 De quando não organizamos o banheiro e tudo continua ótimo…

man9 De quando a Eleonora pensa que não estou vendo ela carregar livros para dentro da geladeira…

man8 De quando pecebo que as cores dos meus chapéus ficam lindas juntas…

man4 De quando me senti completamente orgulhosa por cultivar essa flor desde quando ela era apenas uma sementinha…

man3De quando aliviei o quarto da pequena e levei um mini jardim de suculentas para lá…

Tenham todos um maravilhoso final de semana

Por dias mais simples e leves

ch1Todas as manhãs a Eleonora tira uma longa soneca. E quando eu resisto e não vou dormir com ela, aproveito essas horas livres para ora organizar a casa, ora ler, ora tomar um banho quente e demorado ou simplesmente paro tudo e faço um chá.
E que aroma maravilhoso o chá de erva doce com canela espalha pela casa

Quero sempre dias simples e vida leve.ch2_DSC0333

Recuperando o hábito da “escrita para si”

  esc1Dias atrás estava conversando com o Inácio sobre a dificuldade que tenho de me abrir com alguém e sobre  o quanto, ao mesmo tempo, sinto a necessidade de me abrir completamente com outra pessoa além dele, mas… Não tem jeito, isso é de fato difícil para mim. Por fim, tudo continua aqui dentro, bem guardado.

Já fui melhor em me abrir… Nunca fui espontânea nesse aspecto, porém, não era tão fechada como hoje. Mas, sempre chega o momento em que simplesmente precisamos despejar um monte de palavras em cima de alguém. Falar não somente sobre os problemas (pois esses são os que clamam pela necessidade de ser compartilhados e confortados por alguém), mas também, sobre as coisas mais banais e fúteis, sem ter receio de ser mal interpretada.

Mas… Novamente, não tem jeito, as palavras não saem, e o pior (ou melhor), é que logo, logo passa a necessidade de compartilhar com alguém, todavia, os pensamentos ficam ali, te martelando por dentro, te lembrando que eles precisam ser canalizados, não importa a maneira.

Quando era mais nova, SEMPRE mantive um diário por perto. Certo dia, resolvi revisitar um dos mais antigos e rapidamente fiz uma volta no tempo. Fui jogada em um mar infinito de memórias, reforçadas por fotos, entradas para cinema e shows, enbalagens de balinha, panfletos… Tudo alí, colado nas páginas, devidamente datadas. Tudo alí, mantendo frescos dias distantes.
Infelizmente não foi uma boa viagem. Não que o que todas aquelas lembranças fossem exatamente ruins, sou eu que não sei lidar com o passado.
Então tomei uma decisão drástica e definitiva, queimei (literalmente) alguns diários e prometi a mim mesma que nunca mais iria voltar eternizar memórias através da escrita. Tempos depois descobri que queimei apenas alguns, pois encontrei uns três ou quatro na casa dos meus pais.  Por qual razão não os queimei também, não sei. Talvez porque estavam perdidos na minha vida “organizada”.

Mas assim que me mudei e que passei a ficar mais tempo ainda sozinha (o que aprecio muito), decidi que iria tentar manter um diário novamente. Afinal de contas, o acúmulo de pensamentos estava pedindo para sair de dentro de mim e como já mencionei, não sou muito boa em falar sobre eles com outro alguém. Só que dessa vez fiz um combinado comigo mesma, que iria sempre, pelo menos tentar, escrever mais sobre a leveza da vida às angústias.

Porém, eis que derepente me vi sem uma agenda, ou caderno, ou qualquer outra coisa adequada para fazer dela um diário. Mas sabia que tinha  na casa dos meus pais uma agenda de 2010 que o Inácio havia me dado e que eu nunca cheguei a usar. Eu a encapei com um lindo papel de presente que ganhei como presente do Inácio,  (junto com outros presentes rsrs), no dia das mães de 2014. Hoje ela fica no banquinho ao lado da cama e muitas vezes anda pela casa comigo…

Confesso que não escrevo religiosamente  todos os dias, mas estou adorando recuperar o bom ato da escrita “para si”. É terapêutico, alivia a alma, conforta o coração.escr2esc3esc4esc6esc5

Tudo azul em Pirenópolis.

_DSC0315Alguns dias atrás, mais especificamente, no sábado dia 31/01, eu, o Inácio e a Eleonora saímos rumo a Pirenópolis para buscarmos meu pai e meu irmão que participavam de uma volta ciclística. A brincadeira era ir de Goiânia a Pirenópolis de bike, não pela estrada, mas por trilhas, o que tornar o caminho relativamente mais difícil. Eusinha aqui não tenho ânimo e nem saúde para encarar mais de 100km de bike num sábado mega ensolarado, mas eles tiveram, aliás, eles sempre tem esse ânimo.

Ao irmos para Pirenópolis a intenção não era somente pegar os rapazes e voltar para casa. Fomos com a intenção de chegar algumas horas antes deles, para aproveitarmos a cidadezinha e fotografarmos à vontade, afinal de contas, Pirenópolis é uma dessas cidades pequenas de interior super charmosinha. Ruas de pedras, portas e janelas super coloridas e muitos cafés charmosos que te convidam a ficar lá o dia inteiro…

Porém, meu pai não se sentiu muito bem durante o percurso, muito próximo de chegar em Pirenópolis, ele decidiu não forçar mais a barra, desistiu ali mesmo. Ficamos sabendo disso assim que chegamos na cidade. Minha mãe me ligou e disse para voltarmos e buscarmos meu pai em algum lugar na estrada. Moral da história, nós tivemos tempo apenas para darmos uma volta na igrejinha da cidade e fazermos alguns poucos clicks.

Ah, sobre o meu pai. Ele está ótimo. Foi apenas exaustão. E sim, ele já está pronto para a próxima. Aaaah, que ânimo! rsrs_DSC0324_DSC0366_DSC0363_DSC0347_DSC0337_DSC0369 _DSC0402_DSC0377E adorei a coincidência de eu e a Eleonora estarmos de azul e claro, não dispensei a oportunidade de tirar foto na porta azul da igreja. XD_DSC0353_DSC0401

Tenham todos uma linda semana!

Nossa casa. Simples assim

_DSC0588Tem pouco mais de um mês que nós nos mudamos para um cantinho exclusivamente nosso. Eu, o Inácio, e a Eleonora, estamos encantados com esse novo espaço, que é simples, bem claro, e cheio de amor.

As fotos não foram feitas todas em um dia só. Foram feitas ao longo dos dias, desde que nos mudamos, logo, algumas coisas já mudaram de lugar. Eu simplesmente adoro ficar testando as possibilidades de organização dos móveis em casa.

Como nos mudamos há pouco tempo, a casa ainda está um tanto quanto vazia. Nos limitamos a comprar algumas plantinhas, como uma suculenta e uma muda de bamboo, a qual estou completamente apaixonada. As outras plantinhas (que não são muitas) são sobreviventes que me acompanham já há algum tempinho.

6cNosso quarto é o local mais “sem nada” da casa. Até uma ou duas semana atrás ele tinha apenas nossa cama, o armário de roupas , e o criado mudo da direita que antes, morava no quarto do Inácio, em sua antiga casa. Depois eu incluí o meu tamborete branco, super velho, cheio de pequenos defeitos, mas que eu amo e que me acompanha por anos. Eu o pintei com spray branco e tah-dá, ficou perfeito! Agora ele enfeita nosso quarto, e ainda que de maneira muito singela, tornou o ambiente ainda mais confortável.1c 2cA plantinha no pote de geléia nada mais é do que uma erva daninha recém chegada aqui em casa. Eu a peguei no quintal de uma amiga enquanto corria no gramado atrás da Eleonora. Me encantei com a platinha que tem folhas com formato de coração. Tão lindinha, e tão cruelmente chamada de “praga”. Adotei! =}3cNo lado do Inácio, não coloquei nenhuma plantinha, nem fotos em cima, nem nada, pois ele não gosta de muitas coisas, e eu acho válido respeitar a individualidade. Ainda que seja em um pequeno lado e ainda que crie dois cantos diferentes em um mesmo cômodo. Para falar a verdade, até gosto da completa diferença entre esses dois lados.9CNo quarto da pequena ainda faltam muitos ajustes, como a prateleira que compramos para colocarmos os livros em uma altura que ela possa ter acesso sempre e a tinta lousa para parede.11C12CEnquanto não podemos pintar a parede com a tinta desejo, eu improvisei um mural para rabiscos. A solução foi papel craft afixado no canto do quarto. Mas não tem jeito, as paredes dos quartos e da sala são mais atraentes para rabiscar do que o papel que eu carinhosamente improvisei. ={10CA cestinha grande de bicicleta, aqui virou uma cesta para os livros. Faço questão de mantê-los no chão, sem medo do que a Eleonora possa vir a fazer com eles (e para ser sincera, ela rasgou apenas a página de um livro até hoje). E eu acho uma delícia quando ela pega um de seus livros e me entrega. Isso é um pedido claro de “leia algo para mim”. Rapidamente a pego e leio várias páginas para ela. Fico feliz e satisfeita pelo fato de a cada dia que passa conseguir ler mais e mais páginas do livro com ela quietinha, ouvindo a história.8C

4c5cBem, esses são pequenos detalhes da nossa cozinha, que é a menor cozinha do planeta. Sério, ela é um corredor minúsculo que cabe apenas uma pessoa. Mas ok, eu gosto dela assim mesmo. =}

c13Chegamos no canto favorito daqui de casa. A sala.

Esse é o local em que todos aqui passam a maior parte do tempo (quero dizer, menos a Eleonora, pois ela gosta mesmo é da cozinha, pois vocês sabem né, a cozinha é o local mais perigoso para uma criança, logo, o mellhor segundo a Eleonora). É onde estão todos os nossos livros, a mesa de jantar, o som. É o local mais vivo e animado da casa. rsrs_DSC0358Aqui detalhe da mesa que mais amo nesse mundo. Presente de uma amiga, que muito carinhosamente nos deu. Antes ela estava na sala da casa dela. A mesa está cheia de fissuras, descacadinhos, que ao meu ver, dão mais charme ainda a ela. Ela tem o tampo em mogno claro e as pernas foram pintadas com tinta branca. Simplesmente adorável._DSC0343c15_DSC0245Esse é outro “amorzinho” daqui de casa. Nosso banquinho, que compramos para usarmos com a mesa, quando recebermos visita. _DSC0415Essa é a minha tão desejada parede de fotografias. E nós estamos apenas começando a compô-la…Escolhi apenas fotos em preto e branco. Tem somente um quadrinho minúsculo com um desenho em aquarela, colorido. Ele ficou lá apenas como medida de improviso, para preencher um espaço vazio entre os quadros. Todas as molduras foram reaproveitadas. São molduras velhas, que estavam guardadas. Todas foram pintadas de branco, com excessão da que está no topo, pois ela estava linda e conservada. =P

_DSC0507_DSC0270

_DSC11947cc14 Pequenos detalhes do nosso banheiro._DSC0538_DSC0099E aqui, pequenos detalhes da nossa minúscula varanda que não tem muito além de uma mini roseira que gentilmente sobrevive ao meu lado por um bom tempo, já.

Enfim, esse é o nosso lar, simples e bem aconchegante.

Tenham todos um ótimo dia

Aleatórios do instagram

foto 3-2 Se tem algo que anda tomando o meu tempo, é ficar navengando nos aleatórios do instagram. É que tem tantas coisas bonitas que me inspiram. Fico por lá, viajando um monte…

As minhas categorias favoritas no instagram são as de decoração de interiores, especialmente aquelas fotos que mostran cantinhos decorados no melhor estilo scandnavo. Amo!

Uma outra categoria que amo muito são as de fotos de comida, simplesmente porque são belas e me dão água na boca.

Já as minhas  fotos, ainda estão bem longe da beleza toda das que me inspiram por lá. Mas vou registrando assim mesmo… rsrsfoto 2-2 E, há! O meu instagram está cheio de fotos do novo cantinho que eu e minha pequena família estamos morando no momento. Muito em breve, eu faço um post mostrando nossa nova casa de maneira mais detalhada. =}foto 1-2 foto 5 foto 2 E meu instagram também está recheado de fotos das novas delicadezas que estão disponíveis na nova lojinha.foto 3E pra variar, muitas, muitas fotos de flores. Ninguém mandou essas lindinhas serem tão fotogênicas.foto 2-3E advinhem quem é minha nova companhia para as voltinhas de bike? A Eleonora!
Meu pai a presenteou (ou me presenteou, rsrs), com uma cadeirinha e um capacete infantil. Agora a gente até busca o Inácio no serviço, pois ele trabalha pertinho de casa e também vai e volta de bike =}foto 3-3 Processed with VSCOcam with f2 presetAlice no país das maravilhas, aqui e alí…foto 2-4 A pequena não pode ver uma poça de água que já corre para pular.foto 1-4And that’s all, folks =}

Mommy look, baby look

mb1Quanto tempo tinha que eu não fazia um mommy look, baby look, heim.  A bem verdade dos fatos é que não faço posts temáticos com regularidade.={

O mommy look, baby look de hoje, para variar, é mega simples, bem básico. O que mais me estimulou a fazer essas fotos foi a minha nova camiseta cropped da Alice no país das maravilhas. É que sou completamente obcecada por qualquer coisa que tenha Alice no meio. Tenho uma pequena (pequenininha mesmo) coleção de livros da Alice, e pretendo fazer com que ela fique grandona um dia… Mas qualquer dia desses faço um post sobre minha loucurinha por Alice. =}

As fotos foram feitas depois de termos chegado em casa, tínhamos ido ao supermercado para comprarmos frutas e verduras pois a geladeira estava vazia. A Eleonora já tinha sujado o vestido e as botinhas, mas resolvi fazer as fotos assim mesmo e acabei achando-as bem legais. Obrigada, Inácio por todas essas fotos! =*

Aqui e aqui, vocês podem ver “mommy look, baby look” anterioresmb2mb3Vermelho e o Negro, Stendhal. Livro que comecei a ler recentemente.mb4mb6A Eleonora adora esse colar longo de miçangas, ela ficou com ele o dia inteiro.mb5mb7  Desculpem-me pela pose indelicada da Eleonora. Ela descobriu a parte interna do nariz e resolveu manter o dedinho sempre por lá. XD_DSC0676mb8Essa é minha única calça larga no armário. Super antiga… Simplesmente adoro esse jeans.mb9Desejo a todos uma maravilhosa semana

Esta valsa é minha

 

“Ela quer que a vida seja fácil e cheia de lembranças agradáveis”  Fitzgerald, 1932: 15_DSC0327 Já tem bastante tempo que comprei esse livro, e já tem um tempinho que terminei de lê-lo. Eu sempre fui curiosa para ler alguma coisa dos Fitzgerald, especialmente da Zelda, pois já tinha ouvido falar muito bem da escrita dela.

Comprei esse livro meio que por acaso, quando uma amiga ia fazer uns pedidos na amazon brasil e perguntou se eu não queria pedir nada, o propósito era fazer com que o frete ficasse grátis (tanto eu quanto ela nos sentimos bastante desestimuladas a comprar algo com frete. Na verdade muitas vezes o valor do frete me faz desistir de comprar), daí encontrei essa versão lindíssima de Esta valsa é minha por apenas 18 reais, claro que tive que pedir.

Quando o livro chegou, todos ficaram impressionados com a beleza da capa. Ela tem uma ilustração linda e foi impressa em um material meio metalizado. Simplesmente encantadora.

Sobre o romance, não irei me aventurar muito em escrever detalhadamente sobre, pois já faz um tempinho bom que o li (o mesmo aconteceu quando vim falar aqui um pouco sobre Vida querida da Alice Munro… Tenho que aprender a fazer a postagem sobre os livros ainda com as histórias fresquinhas em minha mente).

Esta valsa é minha é o único romance de Zelda, e foi escrito em apenas 6 semanas durante os dias que esteve em um hospital psiquiátrico (local de onde ela nunca saiu, pois morreu tragicamente queimada durante um incêndio no hospital).

A primeira coisa que comentei com uma amiga sobre o livro foi que eu fiquei encantada com a forma como ela escreve, ela seleciona palavras que tornam sua escrita levemente poética.   O romance é auto biográfico, narra os mesmos acontecimentos da vida real de Zelda (no livro representada por Alabama) e Scott (no livro, David Knight). Durante toda a leitura do romance, me senti bastante envolvida com a parte em que Alabama se dedica, depois de adulta, ao ballet (talvez porque eu, até pouco tempo atrás estava procurando por aulas de ballet para adultos). Ela se dedica exaustivamente à dança, mesmo sendo cercada por uma série de pessoas que a desestimulam muito, justamente por ela ter “passado” da idade para iniciar tal façanha. E Zelda, na vida real também se dedicou ao ballet depois de adulta, mas ao contrário de Alabama, Zelda desiste da dança.

Para quem assistiu Meia noite em Paris de Woody Allen, Zelda aparece no filme exatamente da maneira como sempre a imaginei (na verdade, creio que todos tenham uma visão semelhante a respeito dela), doidinha, agitada e sempre querendo mais e mais festas…

Como de costume, destaquei no livro algumas frases e passagens que me chamaram a atenção.

“Alabama tinha uma consciência forte de sua própria insignificância, da vida passando enquanto besouros cobriam os frutos úmidos das figueiras com a atividade estática de um bando de moscas sobre uma ferida aberta” pg 46

“Ela sinceramente não se incomodava nem um poco com a solidão” pg178

“Olhar nos seus olhos era uma ilusão de optica” pg 222

Depois de Esta valsa é minha (ou antes dele, não sei ao certo) li Scott Fitzgerald, O grande Gatsby, e Hamingway, París é uma festa, e esses livros me fizeram ficar profundamente encantada com a literatura produzida na era do Jazz, agora quero conhecer mais, muito mais.

_DSC0324 _DSC0373Enfim, gostei muito do livro, matei minha curiosidade. Lamento a vida não ter dado mais tempo para Zelda escrever mais que um romance e lamento mais ainda por ela ter tido um fim tão triste depois de longos dias de festas…

Desejo a todos um maravilhoso final de semana

Novidade!

_DSC0004_2 E a segunda-feira chegou com novidade. Tem itens novos e uma loja nova por aqui…

Venho trabalhando lentamente nessa pequena série de colares de acessórios de cabelo há algum tempo. É bem trabalhoso e toma bastante tempo, mas também é muito prazeroso…. Eu simplesmente amo!

Todos os colares, desde quando comecei a produzir, faço questão de mantê-los como algo exclusivo, isso significa que não há colares repetidos (nunca!). A combinação entre pingente e corrente sempre se dá de maneira diferente. Insisto em produzir peças exclusivas, pois acho muito bacana ter algo que é “somente seu”. É minha singela forma de demostração de carinho com quem adquire meus trabalhos.

E para melhorar a novidade dessa segunda-feira, além daloja está recheada de itens floridos, todos, absolutamente todos, estão com frete grátis para todo o país.

Abaixo algumas fotos do que tem de novo por lá. Espero que gostem!_DSC0369 _DSC0313 _DSC0326 Esse camafeu é um encanto, possui duas ilustrações, uma minha no lado externo e uma flor linda no lado interno. Esse é o único na loja nesse modelo._DSC0307 Esse pingente é enorme e lindo! Pois tem ilustração em um lado e um relevo delicado de pequenas flores no lado de trás (e que eu, muito espertamente, não fotografei rsrs)_DSC0350 kit1 Ah, e tem também kit de postais e prints floresA4 (2)Desejo a todos uma linda semana!

Ser mãe da Eleonora…

eep2Se tem algo que tenho gostado muito nesse último um ano e cinco meses, é ser mãe dessa pequena aí. Minha vida sem sombra de dúvidas tornou-se muito mais colorida do que era.

A Eleonora é sempre tão sorridente, calma e alegre… Muito amor, muito!

Eu “quase” não tenho fotos super bacanas com a Eleonora, já o pai dela tem um monte de fotos lindas com a pequena que me mantam de inveja. Mas ok, consigo superar, já que isso é uma consequência natural pois normalmente estou atrás da câmera…

Essas fotos foram feitas no primeiro dia de 2015 em Brasília. =}eep4eep5eepE… fotos de pulo, sempre!

Um dia para não ser esquecido em 2014

_DSC1390

Se tem algo em 2014 que vou adorar manter na lembrança é o primeiro aniversário da Eleonora.

Creio que desde que fiquei grávida, sempre imaginei o quanto seria legal fazer a festinha de um aninho da bebê que estava a caminho no formato de um piquenique. Eis que não abandonei a ideia.

Ao aproximar o mês de aniversário da pequena, eu e o Inácio começamos a sair para comprar “coisinhas” para o piquenique. E vocês não imaginam o quanto eu  fiz o Inácio andar por Campinas (Bairro em Goiânia onde você encontra de tudo e mais um pouco para festas), atrás de copos coloridos, canudos coloridos, tecido para toalha de piquenique, lã para os pompons, e por aí vai. Foram muitas nossas pernadas…

Queria ao máximo fazer as coisas do modo mais personalizado possível, os enfeites, os convites, tudo passou literalmente por minhas mãos. Deu um pouquinho de trabalho e muito drama (quando fui buscar os convites a cor da impressão ficou horrível, lavada, clara demais, os pequenos detalhes sumiram e nem tive o direito de pedir que refizessem, já que não pedi prova da impressão, resultado disso, chorei feito criancinha no caminho de volta para casa).

O piquenique de um modo geral foi simples, para poucos convidados, foi bem intimista como havia desejado, e o resultado nos agradou bastante, tudo muito florido, colorido e alegre. Tudo muito Eleonora…

Aqui vocês podem ver a postagem desse aniversário em 2014.

E aqui tem um post com o restinho do aniversário da pequena na casa dos avós

_DSC1392_DSC1393el13 el2 Esse foi o naked cake feito de última hora por minha mãe e eu. É que uma amiga tinha se comprometido a fazer o bolo do aniversário, mas ela teve que viajar no mesmo dia, sobrou para eu e minha mãe fazermos o bolo (já que não estávamos mais afim de gastar mais nada com o aniversário naquela altura do campeonato). O melhor de tudo, que o bolo ficou bonitinho (pelo menos achei) e todos o acharam uma delícia.

_DSC1272 _DSC1227 _DSC1279 O convite da Eleonora tinha o mapa de como chegar na pracinha do piquenique, uma foto dela (a foto foi apenas nos convites dos tios e avós e uma amiga), e um pedido. Pedimos para que a presenteassem com livros infantis, pois sim, acho que livros serão os melhores presentes, para todo o sempre.

_DSC0090 _DSC1477 Eu estava super preocupada com a chuva que estava ameaçado a vir e o atraso na montagem de tudo, resultado disso, na maioria das fotos sai com cara de louca. hahaha_DSC1462Essa é minha foto favorita do aniversário, e uma de minhas fotos favoritas com a Eleonora. Essa carinha dela aqui é simplesmente demais.

Eleonora, eu e seu pai  te amos, infinitamente!

 

E o que esperar de um novo ano…

_DSC0745

Enfim, 2015 chegou! E do lado de cá, ele chegou transbordando alegria, novidades e leveza. Eu e minha pequena família estamos vivendo um momento maravilhoso, pois nos mudamos para um cantinho só nosso (em breve fotos do nosso novo lar), e essa novidade, por si só dá grandes indicativos que o nosso 2015 começou de maneira maravilhosa. Desejo que o ano continue assim, bem leve.

Abaixo, algumas fotos referentes ao último dia de 2014 (a caminho de Brasília) e o primeiro dia de 2015.

De um modo geral, nossa virada de ano não foi nem de longe agitada, com festança regada à música alta e bebidas, muito ao contrário, ela foi uma reunião bem calma, com algumas pessoas queridas da família do pai da pequena. Não teve agito, mas teve leveza, e para mim, isso é mais que bom. rsrs

 _DSC0775E obviamente, demos aquela paradinha básica no Jerivá. O fim de tarde estava encantador…

_DSC0703 _DSC0716  _DSC0760 _DSC0819_DSC0831_DSC0788 E por fim Eleonora e a priminha Lara. A pequena está completamente apaixonada por sua priminha, ao ponto de acordar e ficar chamando-a, pronunciando repetidamente “neném, neném”. *_*

Para 2015…

_DSC1356

Para 2015, desejo dias calmos e com muitas flores para todos nós.

Agradeço a todos vocês que gastaram alguns minutinhos do tempo suas vidas para passar por aqui. Agradeço de coração a cada adorável comentário, os vejo como uma singela demonstração de carinho.

Em 2013, prometi algumas coisas (vocês podem ver aqui), e dentre todas essas coisas a que cumpri e venho cumprindo com afinco e que vou “reprometer” é deixar cabelão crescer ainda mais. XD

Mas vou continuar a “árdua” tentativa de comer mais salada e beber mais água.

Sobre ser uma ótima mãe e uma grande amiga, preciso buscar opinões sobre. rsrs

Não, ainda não realizei meu “grande” projeto fotográfico, mas com certeza, fotografei mais em 2014.

Então, que venha 2015! =}

_DSC1374